Congresso Catarinense de Obstetrícia e Ginecologia

Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


Título

Prevalência de HPV genital e lesões intraepiteliais de colo uterino e acompanhamento das pacientes atendidas em uma Unidade de Saúde da Família e Comunidade referência para Itajaí e região.

Introdução

No Brasil, o câncer cervical é a 2ª neoplasia que mais acomete mulheres, sendo a infecção pelo Papiloma Vírus Humano (HPV) o principal fator de risco.

Material e Método

Estudo descritivo, retrospectivo, a partir da análise de prontuários do ambulatório de patologia cervical, atendidas em 2009 na USFC em Itajaí. Realizado teste qui-quadrado para verificar relação entre variáveis qualitativas (significativo os testes p < 0,05).

Resultados

Analisadas 229 pacientes, 29,69% apresentaram infecção cervical e/ou genital pelo HPV. Das alterações encontradas, 51,47% corresponderam lesões de baixo grau, sendo 42,8% NIC I. 29,41% foram lesões de alto grau, sendo 95% NIC III. Ao exame ginecológico, 93,75% apresentaram áreas acetobrancas e lugol negativas. 61,53% das lesões de baixo grau realizaram colposcopia e biópsia, tendo 35% de resultados discordantes entre os procedimentos. Das lesões de alto grau, 90% realizaram colposcopia e biópsia, com proporção de discordância de 40%. Os fatores de risco significativos foram: profissão do lar (p 0,006), multíparas (p 0,013), menor número de parceiros sexuais (p 0,022) e maior idade (p 0,020). O acompanhamento médio foi 23,88 meses e a taxa de evasão foi 64,7%.

Discussão e Conclusões

O estudo possui importância científica ao demonstrar relevância de realizar métodos adicionais para detecção de lesões de colo uterino, inspecionando o cérvice após aplicação de ácido acético, lugol e colposcopia (quando necessário) uma vez que observou-se discordâncias significativas entre citopatológico e colposcopia + biópsia, sendo estas semelhantes entre lesões de baixo e alto grau. Outros fatores de risco consagrados na literatura, possivelmente não foram encontrados no trabalho por ser uma amostra com viés epidemiológico, pois as pacientes já possuíam lesões cervicais. Esperava-se maior média de acompanhamento por ser um ambulatório referência para a cidade de Itajaí e região, porém, provável que o grande número de evasões foi devido à dificuldade de acesso das pacientes de fora do município.

Palavras Chave

Neoplasia intraepitelial cervical; infecção por papilomavírus humano; Papanicolau.

Arquivos

Área

Ginecologia

Instituições

UNIVERSIDADE DO VALE DO ITAJAÍ - Santa Catarina - Brasil

Autores

FLAVIA WERNER DA ROCHA JESUINO, CATARINA CÉ BELLA CRUZ, NAYARA ANDRESSA TOMELIN